DIGA “NÃO” AO MEDO!

“Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação”  (2 Tm 1.7)
(Este texto é um dos capítulos do Livro “Sendo Parte de Uma Geração Profética”, que Deus me deu a graça de lançar há alguns anos atrás e espero poder abençoar a sua vida com essa ministração).

 Segundo muitas pesquisas realizadas ao longo dos anos, o índice de tristeza e de depressão vem crescendo muito em todo o mundo, especialmente em países mais desenvolvidos.

Vivemos na era do mundo secularizado, imediatista, apressado, onde ninguém tem tempo para ninguém. As pessoas vivem numa pressa generalizada porque os relógios também insistem em correr muito depressa. Ninguém tem tempo para ouvir ninguém; e não é de se admirar que os divãs dos terapeutas estejam sempre ocupados e as filas dos gabinetes pastorais tão compridas.

 Em Portugal, existe hoje o maior índice de depressão e de desejo suicida como nunca antes.

 Em meu ministério sempre recebo inúmeras pessoas com problemas de tristeza profunda, conflitos e depressão. Infelizmente as influências seculares, têm invadido a vida de muitos crentes em Jesus, que ainda não tiveram suas identidades restauradas, através do processo fantástico de Cura Interior.

O ser humano é formado de corpo, alma e espírito. O corpo é o templo ambulante que carrega em si a alma e o espírito. O espírito é o que a pessoa é em si mesma. É o lugar directo de conexão com o sobrenatural. É no espírito que o homem se relaciona com Deus e está ligado a Ele. A alma, é sua mente, suas emoções, suas vontades. É na alma que residem as lembranças dolorosas, os traumas, os medos, as frustrações, as síndromes, etc. Quando uma pessoa nasce de novo, ela instantaneamente tem o seu espírito restaurado, pois o próprio Deus, na Pessoa bendita do Espírito Santo vem habitar dentro dela. Quando uma pessoa vem a Cristo e abre o seu coração para Ele, Ele entra e tira o trono de outros deuses, estabelecendo o Seu próprio trono e governo na vida desta pessoa. Então, o seu espírito nasce de novo e instantaneamente salvo da condenação. A isto chamamos de regeneração e a regeneração é um acto sobrenatural de Deus. A partir daí, seu corpo também passará por um processo de cura, pois seus hábitos mudarão, sua maneira de se vestir mudará, suas atitudes erradas também sofrerão mudanças tremendas. O reflexo do que aconteceu no espírito desta pessoa será, passo-a-passo, visto neste bebé espiritual. Isto é chamado de santificação. Se esta pessoa era viciada, agora será santificada e liberta a cada dia. Se esta pessoa se prostituía, ou roubava, ou mentia, já não estará entregue às paixões da carne. Isto é um processo e pode levar algum tempo. Em relação a mente, não é diferente, pois ela também precisará de cura.

Em meu ministério creio e ministro cura interior e a experiência me afirma que uma pessoa sem cura na alma, não avança. É como um prisioneiro que já foi livre, mas continua ainda no cativeiro por não conseguir mover-se sozinho. Tenho visto inúmeros casos de mulheres que sofreram abusos sexuais na infância e que até hoje, têm sérios problemas em seus relacionamentos por causa das feridas que ainda estão vivas dentro delas. Quando o Senhor vem e ministra a cura na alma, é visível como a pessoa se torna livre totalmente para viver tudo o que Deus tem preparado para ela.

 O objectivo de satanás é trazer sempre à tona as lembranças de dor, mantendo assim, uma parte importante da vida de uma pessoa presa ao passado. E ninguém consegue ser livre no presente, se não resolver definitivamente os conflitos do seu passado. É bom lembrar que um dos nomes dados ao inimigo das nossas almas, é belzebu, aquele que age nas feridas. Satanás quer aprisionar a humanidade no medo. Medo do amanhã, gerando ansiedades, depressões e mortes. Medo do desconhecido. Medo da solidão. Medo de fracassar.

Mas o Apóstolo Paulo, está a dizer para o jovem pastor, Timóteo que Deus não nos deu o espírito de medo. Paulo está a falar para um jovem pastor, provavelmente cheio de conflitos internos.

Timóteo talvez fosse um jovem frágil por ter um problema de saúde. Era ainda jovem e já estava a viver grandes responsabilidades. Por algumas vezes Paulo lhe instrui a sofrer como bom soldado (I Tm 4.5; 2 Tm 2.3). A militar a milícia da fé (2 Tm 2.4,5). A participar dos sofrimentos do Evangelho (2 Tm 1.8). O apóstolo Paulo, como o seu discipulador e pai na fé, lhe encoraja dizendo que Deus não nos deu o espírito de medo, mas de poder, de amor e de moderação.

 Um dos textos da Palavra, mais cheios de homens que viveram acima do medo e do temor, é Hb 11, onde está a galeria do Heróis da Fé. Foram homens tão sujeitos ao fracasso como qualquer de nós, mas que “Pela fé eles venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam a boca de leões, apagaram a força do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram forças, tornaram-se poderosos na batalha, puseram em fugas exércitos de estrangeiros. Mulheres receberam pela ressurreição os seus mortos…” (Hb 11.33-35)

 A história destes heróis de Deus nos encoraja a prosseguirmos sem medo… “ainda que eu ande pelo vale da sombra e da morte não temerei mau algum, porque tu estas comigo…” (Sl 23.1)

O nosso Deus continua o mesmo e Ele nos chama a uma vida de triunfo.         O medo aprisiona uma pessoa, a deixando impotente diante dos desafios, mas a força do Senhor nos leva a rompermos os limites humanos, nos permitindo ir mais além. A visão profética traz em si mesma a liberdade para vivermos todos os capítulos da História que Deus quer fazer através de cada um de nós.

Concluindo que ao recebermos a regeneração, não nos foi dado o espírito de medo, entendemos que foi para a realização de proezas que fomos chamados. Logo, o Espírito Santo, que em nós habita, nos enche do espírito de:

 1)    PODER – Deus nos deu o Espírito de Poder. Em Lc 1.35 encontramos a tremenda profecia que o anjo Gabriel entregou a Maria, quando ela estava receosa em relação ao tremendo desafio de vir ser a mãe do Salvador do mundo. Ele disse: “Descerá sobre ti O Espírito Santo e o PODER do Altíssimo te envolverá…”.

Todo crente quer ser cheio de poder. É muito importante para um crente estar cheio de poder, mas o poder não vem na vida de uma pessoa ‘de graça’. Há um preço a ser pago para recebê-lo. Em I Re 18.30, vemos o que o profeta Elias fez para que Deus enviasse fogo do céu e envergonhasse os 400 profetas de Baal e os 450 profetas de Asera. Elias primeiro reparou o altar do Senhor que estava rachado. Altar simboliza o nosso próprio coração, que muitas vezes não experimenta mais da Glória transformadora de Deus, por haver ainda brechas, rachaduras e legalidades para que a glória se vá. O altar está dentro de nós, no centro da nossa vida e colocamos nele o ‘senhor’ que vai governar a nossa vida. Na vida pessoal, o altar pode estar cheio de adultério, corrupção, dívidas, problemas familiares sérios, etc.

Na vida com Deus, o altar por estar com deficiência na oração, a fé pode estar a fraquejar e a fidelidade sendo levada pela oscilações das emoções. No ministério, o altar pode estar cheio de relaxamento, quando começamos a fazer as coisas para Deus de qualquer jeito, de qualquer maneira, com a falta de zelo pelas coisas do Senhor. A Palavra do Senhor diz que “Maldito é aquele que faz a obra do Senhor relaxadamente (Jr 48.10).

 Eu estou no ministério de plantação de igrejas há muitos anos, e confesso que sou muito exigente com aqueles que trabalham comigo. Eu reconheço que todos nós temos limitações e precisamos saber que ninguém vai além da capacidade dada por Deus. Eu não exijo que meus liderados sejam perfeitos, mas exijo que façam as coisas com excelência. Eu não tenho um ‘chefe’ todos os dias me vigiando para ver a hora que eu acordo, a hora que tenho o meu momento de devocional com o Senhor, a hora que preparo meus estudos e minhas pregações, mas eu sei que sobre mim está o meu Senhor, o que me comissionou e devo manter o zelo pela Sua causa.

Muitos se acomodam nas suas próprias limitações, sendo que se procurassem se esforçar um pouco mais, poderiam ir além de onde já foram. Não fomos chamados para sermos perfeitos em tudo o que fazemos, mas para sermos excelentes naquilo para o qual fomos chamados a fazer. Deus nos deu o espírito de poder como uma das ferramentas para a caminhada. Precisamos usá-lo para fazermos tudo da melhor forma possível. Nosso altar deve ser santo. Não podemos cometer certos ‘vacilos’ como donos do altar do Senhor.

 2)   AMOR – Deus nos deu o Espírito de Amor. Jesus disse em Mt 25.12, que “Por crescer a iniquidade, o amor de muitos se esfriará”. Eu ouço muitos crentes orando e pedindo mais amor ao Senhor. Eles desconhecem que a Bíblia diz que o Senhor já ouviu esta oração, bem antes de a fazermos. Em Rm 5.5, a apóstolo Paulo nos diz que “O Amor de Deus já está derramado em nossas vidas”. Mas este amor deve ser a própria encarnação do amor de Deus. Paulo nos dá alguns conselhos sobre o amor. Ele diz em Rm 12.9:  “O Amor seja não fingido” e em Rm 13.8: “A ninguém devais coisa alguma a não ser o Amor”.

Nós devemos amor a Deus e ao nosso próximo. ‘Pagamos’ o  amor a Deus quando o servimos com todo o nosso coração. Como eu sirvo a Deus? Será que Deus precisa do meu serviço? A Bíblia diz que Deus não é servido por homens. Jesus disse que Ele não veio para ser servido mas para servir. Eu sirvo a Deus quando sirvo às pessoas. À forma de eu ministrar a Deus é ministrando na vida das pessoas. Eu glorifico a Deus quando sirvo as pessoas através do meu ministério. Jesus perguntou três vezes para Pedro: “Pedro, tu me amas? Apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21.15-17).

A forma de Pedro demonstrar o seu amor pelo Senhor, era servindo às Suas ovelhas. Quando amamos a Deus, entregamos nossas vidas pela Sua Igreja, pelo Seu Reino, por aquilo que Ele ama e deu-se a si mesmo. Devemos também amor aos nossos inimigos. Jesus nos disse que devemos amar aos nossos inimigos, porque se amamos a quem nos amam, não há vantagem nenhuma nisso. (Mt 5.44). Devemos amar aos perdidos, pois Deus os amou de tal maneira que entregou o Seu único Filho (Jo 3.16). Há muitas pessoas que amam almas, mas não conseguem amar pessoas. Nós precisamos do amor de Deus em nossas vidas para amarmos as almas e nos relacionarmos com as pessoas.

O modelo de evangelismo que tem dado certo na Europa no Século XXI é o evangelismo pessoal, ou seja, o evangelismo um a um. Jesus nos chama para demonstrarmos o Seu amor aos perdidos. Ele continua com o Seu chamado: “Vinde após Mim e Eu vos farei pescadores de almas.” (Mc 1.17). Há tempos fui a um congresso mundial de evangelismo das igrejas Metodistas cujo tema era: “Todos precisam saber!”. É verdade, todos precisam saber das Boas Novas do Evangelho e o que vai levar a Igreja a amar os perdidos, se preocupando com a eternidade, é o espírito de amor. O amor Ágape. O amor de Deus. O amor sacrificial.

 3)   MODERAÇÃO – Deus nos deu o Espírito de Moderação, ou seja, Ele nos deu o espírito de disciplina, de domínio-próprio, de auto-controle, de Equilíbrio e de Mansidão. Moderação em que? Em toda a nossa maneira de viver. Precisamos de moderação no nosso tempo. Quantas pessoas não se importam em remir e organizar o tempo. Muitos não sabem o que é chegar na hora ou antes da horaem lado nenhum. Elesempre chega atrasado aos cultos e faz disto um hábito, como se alguma parte do culto fosse menos importante do que a outra. Eu sempre instruo minhas ovelhas a convidarem suas visitas que chegam sempre na hora do culto em suas casas, a virem com eles para adorarem ao Senhor. Mas muitos não conseguem ter esta ‘graça’ por se sentirem mal-educados com seus visitantes. Precisamos de moderação no nosso falar, usando a nossa vida como um manancial de vida (Pv 10.11, 15.4) e não como um sepulcro aberto (Rm 3.13, 14).

Nossas finanças são outra área que precisa de moderação. O crente em Jesus precisa aprender a usar mordomia e saber que não somos donos, apenas filhos do Dono. Ele nos deixou como administradores dos Seus bens. Um dia prestaremos contas do que fizemos com nossos dízimos, nossas primícias e nossas ofertas.

Louvamos a Deus porque o espírito que recebemos dEle não é de medo e para isto, precisamos manter a nossa mente sã e em harmonia com o Espírito de Deus. Afinal, nós “nós temos a mente de Cristo” (I Co 2.16). E em Cristo, temos uma vida abençoada. Uma vida próspera em todos os sentidos. Lembre-se que o Antigo Testamento encerra com a citação da palavra “maldição”. Mas o Novo Testamento encerra com a frase “a Graça de nosso Senhor Jesus Cristo”. Deus quer quebrar o ciclo de maldição.Em Cristo, Deusnos dá vida plena. Lembre-se que a primeira promessa que Deus faz em um mandamento, é o de ter uma vida longa.

 Em Jr 17. -14, lemos: “Sara-me, Senhor, e sararei; salva-me e serei salvo; porque Tu És o meu louvor”.  Para vencermos o medo do fracasso, precisamos nos posicionar em Deus e no centro de Sua vontade. Quero discorrer com você sobre 7 atitudes para ter uma mente livre do aprisionamento do medo.

 1. É preciso esquecer o passado e viver o presente avançando para o futuro. O apóstolo Paulo, nos revela o segredo do seu sucesso ministerial: “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das cosias que atrás ficam e avançando para as que estão adiante de mim” (Fp 3.13). Infelizmente, ainda há muitos crentes em Jesus que não conseguem viver o presente de glória que Deus lhes reservou, porque não ‘acertaram contas’ com o seu passado. Ainda estão vinculados ao passado de uma forma terrível. Muitos já saíram do sepulcro, mas insistem em carregar defuntos. Faça como o apóstolo Paulo, se desvincule ao passado, tendo um alvo, um objectivo. Saiba onde você quer chegar e o que quer para a sua vida. Trataremos mais deste tema, no capítulo doze, sob o tema determinação.

 2. Busque viver dentro da Glória Shekinah de Deus. Lemos em 2 Co 3.18 que a glória de Deus nos transforma: “Mas todos nós, com cara descoberta, reflectindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor”. Este verso me empolga, porque tenho visto inúmeras pessoas que nunca conseguiram vencer o pecados, vencer seus vícios e suas dores, sendo transformadas completamente ao terem uma experiência sobrenatural com a glória Shekinah de Deus. Mas a glória de Deus também não vem a nós, se não a buscarmos. Precisamos buscar ao Senhor em todo o tempo e Ele se deixará achar por nós. Como buscar a glória de Deus constantemente? Primeiro, fazemos isto vivendo uma vida em obediência à Sua Palavra. O que obedece atrai a si mesmo, todas as bênçãos de Deus.

O crente obediente não precisa viver em buscar das bênçãos, porque elas é que o alcançam.  Segundo buscando a Deus com vigilância e oração. A oração é muito importante, mas oração sem a vigilância, não produz muito efeito. Jesus disse: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca (Mt 26.41).

Se alguém ora muito, mas insiste em ser um viciado em televisão ou em Internet está vigiando pouco. Se alguém ora muito, mas vive com falatórios profanos, está vigiando pouco. Se alguém ora muito, mas não se alimenta constantemente da Palavra, está vigiando pouco. Seja vigilante em toda sua maneira de viver e sua oração terá um efeito muito maior no mundo espiritual e se reflectirá no mundo físico.

Max Lucado, em seu livro Parceiros de Oração, disse:  Quando agimos, colhemos os frutos do nossos trabalho, mas quando oramos, colhemos os frutos do trabalho de Deus”. A oração toca o coração de Deus. Juan Bunyan dizia: “as melhores orações tem muitas vezes mais gemidos que palavras”. O apóstolo Pedro diz em sua carta: “E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto, sede sóbrios e vigiai em oração” (I Pe 4.7).

Terceiro, podemos buscar a Sua glória com jejuns e humilhação. O jejum é uma forma de mortificação do “eu”, da carne. O jejum não vai mudar a Deus. Deus é imutável. “Nele não há mudança, nem sombra de variação” (Tg 1.17), mas o jejum vai transformar o nosso próprio coração, vai nos tornar mais mansos, mais humildes, mais pacientes; enfim, mais parecidos com Cristo. Certa vez, alguém perguntou a John Wesley quão era o segredo do seu sucesso. Ele respondeu: “Eu me coloco no fogo, e me apresento para que todos venham ver-me queimar”.

 3. Use a autoridade da Palavra de Deus. O apóstolo Paulo nos instrui a tomarmos toda a armadura de Deus, para resistirmos firmes quando o ‘dia mal’ chegar ate nós. Em Ef 6.17, ele diz: “Tomai também… a espada do Espírito, que e a Palavra de Deus”.  Muitos crentes não sabem o poder que tem a Palavra de Deus, simplesmente porque não a usam no seu dia-a-dia. A Palavra é um activador da nossa fé nos momentos difíceis. Quando a utilizamos, estamos proferindo um Rhema de Deus. Tem muita gente que quer ser profeta. Quer ter uma visão profética e profetizar para multidões. Vou lhe dar um conselho: se você quer ser um profeta de Deus, profetize a Palavra, porque esta, nunca falha. É a Palavra Viva de Deus.

Conheço um testemunho de um grande pregador do Evangelho, que entrou num avião para ir a uma nação pregar numa grande conferência evangelística. Do lado do seu assento estava um homem rude, com aspecto frio. Aquele pregador começou a puxar assunto, para estrategicamente começar a falar de Jesus, sem perder tempo. A Palavra nos instrui que demos falar de Jesus com insistência “a tempo e fora de tempo” (2 Tm 4.2). Quando aquele pregador começou a falar de Jesus, aquele homem disse que era ateu e não acreditava em Deus. Logo, o pregador dizia: “Mas a Palavra de Deus diz que louco é aquele que não crê em Deus”. E o homem irritado, dizia não crer na Bíblia e que por isso, não queria ouvir mais nada. E para casa frase contrária daquele homem, o pregador, lhe dizia: “Está escrito”, o que deixou o ‘vizinho’ muito irritado. Eles chegaram no seu destino. Cada um foi para o seu lado. Uns anos mais tarde, aquele pregador volta naquela nação para uma grande campanha evangelística. Deus abençoou muito, e no final veio um homem à frente para falar com o pregador. Ele lhe pergunta: “Pregador, o senhor se lembra de mim?”, o pregador disse que não se lembrava muito bem. “Eu sou aquele homem que estava sentado do seu lado no avião há alguns anos atrás”. O pregador se admirou e disse: “Fico feliz em vê-lo aqui. Lembro-me que não queria nem ouvir a Palavra”,“Pois bem, pregador”, disse ele, “Eu não queria ouvir, mas o senhor navalhou o meu coração com a espada do Espírito e eu não pude resisti. Entreguei minha vida a Jesus e hoje estou a me preparar para o servir melhor”.

Não há poder maior neste mundo do que o da Palavra. Ela é mais poderosa do que qualquer bomba nuclear. Ela abala céus e terra. Tudo se curva ante ao seu poder. O inferno estremece ante a sua autoridade.

“Está escrito”. Quando o Senhor pronunciou essas palavras, o diabo fugiu. Satanás não consegue enfrentar a espada do Espírito que é a Palavra de Deus. Na fase mais aguda de ameaças à sua vida, Lutero recebeu oferecimento de amigos e admiradores que se propunham a defendê-lo pelas armas. Lutero recusou dizendo: “Eu não vou apelar para armas e derramamento de sangue para a defesa do Evangelho. Foi pela pregação da Palavra que o mundo foi conquistado; pela Palavra a igreja foi salva; é pela Palavra que ela há ser restaurada. Eu não vou depender de ninguém senão de Jesus Cristo e Sua Palavra”.  

Voltaire, o maior ateu do século dezenove, afirmou que o Cristianismo era uma religião falida e que ele destruiria a Bíblia. Vinte e cinco anos após sua morte, a casa onde Voltaire morreu foi comprada por uma Sociedade Bíblica e é hoje a maior editora de Bíblias do mundo. Jesus disse: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar”(Mt 24.35). Li na Internet que na Nova Zelândia, na Biblioteca de Auckland, o livro mais roubado é a Bíblia! A Bíblia, porém, tem sobrevivido em circunstâncias adversas.

Em 303 A.D. o imperador Dioclécio decretou que todos os exemplares da Bíblia fossem queimados. A Bíblia é hoje encontrada em mais de mil línguas e ainda é o livro mais lido do mundo.
Como dizia D.L. Moody sobre a Bíblia:
“Ou este livro me afasta do pecado ou o pecado me afasta deste livro”.

Entre os vários conselhos que Paulo dá a Timóteo, seu filho na fé, a quem ele estava a treinar para ser um pastor, está a recomendação de aplicar-se ao estudo da Palavra. Paulo diz que Timóteo que sua mãe Eunice e sua avó Loide já lhe haviam ensinado a Palavra. (2 Tm 3.14-17). Paulo diz que Timóteo deveria “manejar bem a Palavra da verdade” (2 Tm 2.15).

Conhecer a Palavra vai mais além do que simplesmente saber qual o maior capítulo, o menor versículo. Quando discípulos tinha Jesus, quem foi a bisavó de David, quem era canhoto ou gordo, mas sim, conhecer a Palavra é se aprofundar na revelação de Deus à humanidade. É deixar que ela nos limpe a cada dia. “Para a santificar, purificando-a com a lavagem de água, pela palavra” (Ef 5.26).

 4. Crer no perdão do Senhor. O apóstolo João, se levanta para nos despertar quanto ao perdão de pecados confessados. Ele diz em I Jo 1.9 “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. Enquanto o crente não toma posse do perdão de Deus, satanás vai sempre arranjar maneira de lhe acusar vezes sem contas, atormentando sua vida com pecados que já foram cravados na cruz com Cristo e já foram pagos pelo sangue de Jesus.

Quando Deus diz que ao perdoar nossos pecados, Ele os lança no ‘mar do esquecimento’, Ele o faz. Podemos vir lembrar a Deus qual o pecado, que Ele vai perguntar: “Qual pecado? Não me lembro dele. Sua ficha está limpa diante de Mim”. Tem gente que toda vez que vai orar, pede perdão por tudo de novo. É porque não crê que já foi perdoado e continua a carregar este fardo sobre os ombros. Certa vez, ouvi um pregador a dizer que Pedro, até o fim da sua vida, cada vez que ouvia um galo cantar, chorava por se lembrar que negara a Cristo três vezes. Será que isto era verdade?

Não vemos em Actos um Pedro totalmente confiante no perdão e poder de Deus? Pedro negou o Senhor, é verdade, mas diante dos líderes religiosos ele demonstrou que fora totalmente curado e que recebera integralmente o perdão de Jesus: “O Deus de Abraão, e de Isaque, e de Jacó, o Deus de nossos pais. Glorificou a Seu Filho Jesus, a quem ‘vós’ entregastes e perante a face de Pilatos ‘negastes’, tendo ele determinado que fosse solto. Mas ‘vós’ negastes o Santo e o Justo e pedistes que se vos desse um homem homicida” (At 3.13, 14). Pedro sabia que passado perdoado, deveria ser passado esquecido. E assim, viveu o presente e o futuro em novidade de viça.

 5. Resistir aos maus pensamentos. Jesus disse em Mt 15.18-19: “Mas o que sai da boca procede do coração, e isso contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituições, furtos, falsos testemunhos e blasfémias”. A mente é um campo fértil para o diabo agir em nossas vidas. Alguém já disse que “Mente vazia é oficina do diabo”. Nós vencemos ou perdemos nossas batalhas em nossa mente. Repare como foi a queda de Eva no Jardim do Éden: Eva Estava sozinha. Eva olhou para a árvore e viu que era agradável à vista. Eva desejou a fruta porque era boa para dar entendimento. Eva comeu o fruto proibido e o deu também a Adão. Eva estava morta espiritualmente e longe de Deus. Se não resistirmos às setas inflamadas do diabo em nossa mente, facilmente cairemos em pecado e formar-se-á novamente uma grande lacuna de separação entre nós e a santidade de Deus.

Resista seus maus pensamentos. Se você ver que está sempre sendo atacado na mente com os mesmos tipos de artimanhas satânicas e carnais, vá para o jejum e para a oração. O jejum mortifica a carne e suas paixões.

 6. Procure se firmar com Jesus estando numa igreja forte em seus princípios. Em At 12.5, lemos: “Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus”. A Igreja é o Corpo de Cristo. Se não estivermos ligados neste Corpo, provavelmente estamos desligados também do céu, porque Jesus disse para Pedro que o que a Igreja ligasse na terra seria ligado no céu e o que desligasse na terra seria desligado no céu. É muito importante não somente crer em Jesus, mas pertencer ao Seu Corpo na terra. O corpo é constituído de muitos membros e se um membro está fora, automaticamente está morto, sem vida.

Há pessoas que preferem se isolar, achando que podem servir a Deus por si mesmas, em suas casas. Mas isto é quase que impossível. O corpo precisa de movimentação constante para não atrofiar. Na Bíblia, quem se isolavam eram os leprosos. Os sãos viviam no meio do povo. Então, procure se firmar numa igreja firme em seus princípios; que seja comprometida em pregar e viver a Palavra; uma igreja quebrantada, amorosa, unida, adoradora e que cumpre a Grande Comissão

 7. Tomar posição contra satanás e romper com o domínio do pecado. Em Josué 7, vemos o povo de Israel sendo envergonhados na batalha contra os moradores de Ai. Josué orava a Deus pedindo ajuda e Deus foi bem enfático com ele. Deus disse que ele deveria parar de orar e corrigir o problema de pecado no meio do povo, porque houve legalidade espiritual para que o inimigo prevalecesse contra eles. Enquanto Satanás encontra algo dele em nós, ele tem legalidade para agir. Precisamos dizer como Jesus: “mas ele nada tem em mim” (Jo 14.30). Como já diz uma frase tão antiga: “Não somos pecadores lutando para ser santos, mas santos lutando contra o pecado”.

 Nós estamos na época do “não tem nada a ver, onde muitos cristãos acham que ser radical não é o melhor remédio contra satanás e o pecado. Pecado não tem tamanho diante de Deus. Uma ‘mentirinha’ diante de Deus é tão grave do que cometer um ‘assassinato’. O que mostra uma gravidade maior é que um sofrerá consequências muito maiores do que o outro, mas pecado é pecado e fere a santidade de Deus em nós.

Para você que acha que ser radical não é o melhor. Preste atenção em algo que li outro dia sobre o ‘indefeso’ jogo de cartas: “As cartas foram criadas no ano de 1392 para uso pessoal do rei Carlos, da França, quando este sofria de debilidade mental. O criador das cartas era um homem degenerado e mau, que escarnecia de Deus e seus mandamentos. Para sua criação maligna ele escolheu figuras bíblicas: o rei representa o diabo; a dama, Maria, mãe de Jesus. Assim, de modo blasfemo, fez de Nosso Senhor um filho de Satanás com Maria. Copas e Ases representam o sangue do Senhor, o valete (resisto escrevê-lo), o próprio Jesus. Paus e outros símbolos representam a perseguição e a destruição de todos os santos. Seu desprezo pelos dez mandamentos foi expresso pelo número 10 de suas cartas…”.

Se algo vem com uma pequena porção de pecado ou de dúvidas em relação a Pessoa de Deus, devemos ser radicais e não tomar aquilo, pois estaremos como Acã, tomando do que é maldito e escondendo dentro dos nossos corações. As derrotas certamente virão mais cedo ou mais tarde. Está a chegar um tempo em que o povo de Deus vai viver exclusivamente pela fé, pois o sistema do mundo está sendo montado para a manifestação do ‘filho da perdição’. Por isto, o apóstolo Pedro dizia à Igreja: “Salvai-vos desta geração perversa” (At 2.40).

Shalom!

7 thoughts on “DIGA “NÃO” AO MEDO!

  1. Queria muito visitar a igreja de vocês em Lisboa, onde é? Sempre fui Metodista e aqui não encontro nenhuma.
    Deixo o meu e-mail para receber a resposta, por favor.

  2. Super grande o post mas gostei muito do que li, falou muito ao meu coração. Como faço para adiquirir o seu livro?
    Que seu 2012 seja cheio de revelação, glória e autoridade de Deus para romper as muralhas.

  3. Pastora, o Pastor JB Carvalho diz que se queremos ser matadores de gigantes, temos que andar com matadores de gigantes, e como eu sei que você é uma delas, gostaria muito de poder caminhar contigo.
    Ore por mim, pois tenho chamado missionário e queria estar com um lider forte e visionário com uma visao profética bem definida e bíblica.
    FELIZ 2012!

  4. Meu desejo é que a bênção do Senhor esteja sobre ti, tua casa e igreja em 2012 e que os céus se rompam sobre todos vocês.
    Beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s